Fechei minha antena telada com duralfoil

Fechei minha antena telada com duralfoil

Cadastre-se e receba as novas postagens por E-mail:

2000 usuários cadastrados

Por vezes, sempre que pesquisamos sobre o fechamento de antenas, diversos são os fóruns e posts que traduzem com entusiasmo este fechamento na banda C e Ku. Aqui mesmo no blog, escrevi algumas postagens de acordo com cálculos e diversas leituras e posicionamento de pessoas que realizaram tal procedimento, me deram a conclusão de que poderia compensar em determinados casos, principalmente para os satentusiasta.

Não satisfeito com as leituras e com testes na banda ku, decidi telar minha antena de 220 cm. De inicio realizei a compra de um produto chamado DURALFOIL, ou manta térmica para telhado. Como não encontrei o produto em minha cidade, comprei o mesmo pela internet, sendo este vendido a metro, totalizando 7 m² com preço de R$3,20 por metro. O produto possuía dupla face, não sendo necessário para tal procedimento. Aproveitei o mesmo frete e realizei a compra da fita adesiva metalizada para emendas da manta térmica, com um custo de R$7,00 (45 metros).

  • Manta térmica dupla face: 7 x R$3,20 = R$22,40
  • Fita adesiva metalizada (45 m): R$7,00
  • Frete: R$20,90
  • Total: R$50,30

Percebam que os valores pagos, poderiam suprir a compra de um LNBF de 70 dB na banda C. Pois a melhora seria de apenas 1 dB, e a antena passaria de um tamanho de 220 cm para 255 cm. Já a banda Ku, a história seria diferente, pois pelo fato do comprimento da onda ser menor que os furos da antena telada, o ganho deveria ser maior.

Para dar continuidade ao  fechamento, tive que arcar com a compra de outros produtos, pois faltava colar a manta na antena. Com isso comprei 2 latas de 400 ml de cola de sapateiro, mais um pincel e uma espátula para espalhar a cola.

  • Cola de sapateiro 400 ml: 2 x R$13,80 = R$27,60
  • Pincel: R$2,00
  • Espátula: R$1,00
  • Total: R$30,60

No final de todas as compras, gastei um total de:

  • Todos os materiais: R$80,90

Passando a parte dos custo, irei contar como foi fechar a antena:

1º – Cortei a manta no tamanho das pétalas da antena. Com um molde recortei todas as demais, totalizando 10 peças.

*Para economizar, cortei de uma forma onde pouco se perdeu da manta, mas era possível reduzir em muito estes gastos.

2º – Com a espátula, espalhava a cola sobre a manta, e os cantos com o uso de um pincel.

*Devemos espalhar bem, pois o gasto poderá ser muito elevado.

**Devemos realizar o procedimento o mais rápido possível, pois seca muito rápido a cola.

Relato que necessitei de ajuda para realizar este procedimento, demorando mais de 5 horas, totalizando 10 horas as duas pessoas.

3º – Voltei a colar os cantos que não ficaram presos.

4º – Passei a fita metálica em todos os espaços que não possuíam a manta na antena.

FECHAR ANTENA
FECHAR ANTENA

Por fim, irei relatar os resultados obtidos:

Diante de tanto trabalho e altos custos, os resultados foram os piores possíveis. Quando testado os LNBFs, tanto na banda C, quanto na banda Ku, offset e Focal prime, nenhum deles houve melhoras, e sim uma grande perda de qualidade. Todo o trabalho foi em vão, tendo como primeiras analises de erros os seguintes resultados:

1º –  Questiono se a manta térmica realmente possui o mesmo retorno de sinal comparado com o prato (zinco). Pois em determinados testes, houve uma queda de qualidade com o uso de determinado ponto com manta térmica, passando 71% para 70%.

*Não considero o teste como válido, pois a manta não ficou 100% colada na antena, mas tenho minhas dúvidas em relação ao material e o retorno do sinal para o LNBF, visto que a manta térmica possui pequenas ondulações e sem saber de quais materiais que o produto é produzido.

TESTE COM MANTA TÉRMICA
TESTE COM MANTA TÉRMICA

2º – Após a colagem, muitas foram as deformações da antena, que ao meu entender foi o principal motivo da queda do sinal. Como relatei em diversas postagens do blog, uma antena empenada trará prejuízos na recepção do sinal. Como a manta não ficou corretamente encaixada nas pétalas, existem muitas ondulações, tanto pelo fato da antena ser velha e as pétalas já estarem desalinhadas, quanto por ter cortado a manta nos tamanhos das pétalas.

FECHAR ANTENA COM DURALFOIL
FECHAR ANTENA COM DURALFOIL

Acredito que para resolver este problema, deveria ter cortado a manta em pedaços pequenos, e colado de tal forma que não viesse a surgir ondulações. Talvez, dessa forma melhoraria o sinal tanto na banda C, quanto na banda Ku.

*Como bem lembrado no comentário de Genario, devemos ressaltar a ação do vento, mas não apenas este e sim o clima em geral:

  1. Vento: não irá existir a passagem do vento pelas pétalas, podendo ser “catastrófico” o fechamento.
  2. Sol: o prato passa a refletir muita luz, fazendo muito calor, podendo trazer problemas com peças não metálicas, ou até mesmo outras situações.
  3. Chuva: Dependendo de sua localização e do total fechamento, a antena pode vir acumular água.
  4. Neve: O mesmo que a chuva, pode vir a acumular neve, causando danos a recepção e a antena.

Conclusão

Posso concluir que houve um gasto alto e muito tempo despendido para o fechamento da antena, o que ao meu entender se faz a adoção desse tipo de medida apenas para testes, pois é muito complexo em se realizar e o resultado pode não ser o esperado. Atualmente não tenho nenhum interesse em melhorar este procedimento, pois ao meu ver não compensa, que por sinal, pode vir a estragar as pétalas da antena.

3 comentários em “Fechei minha antena telada com duralfoil

  1. Genario Agostinho Antunes says:

    Caro….como sempre, todo e qualquer experimento, tem o lado positivo que é o aprendizado, não é? mas, como tu relatou muito bem, as telas ficaram com algumas rugas e estas são a causa da perda de sinal. Outro dia, conversando com o Mestre Divino Cota, mais de cinquenta anos de experiência, falamos exatamente sobre isto: fechamento de antena, suas vantagens e desvantagens. E ele sublimou exatamente isto: qualquer imperfeição na parábola poderá causar perdas de , ( palavras dele ) vinte e cinco por cento… e me parece que foi isto mesmo, não é? Este é, por exemplo, um dos motivos do baixo rendimento das antenas fechadas, de fibra de vidro, pois elas recebem uma camada de alumínio e ficam com muitas imperfeições internas, que causam o baixo rendimento. E um detalhe que deve ter passado em branco e que vale ressaltar é que fechando a antena, a resistência dela ao vento torna-se bem maior, e se não forem tomadas medidas para minimizar pode ser até perigoso. Eu não posso nem pensar em fechar antenas, pois onde moro é o nascedouro dos ventos…
    Mas, de qualquer foram fica a experiência e parabéns pelo teu relato, sempre perfeito e minucioso.

    • Admin says:

      Bom dia Genario. Realmente foi um grande aprendizado, onde com certeza tirei muitas conclusões positivas para não errar novamente. Como tal, houve grandes perdas, neste caso em específico na banda C e no TP testado a perda se fez próximo a esta proporção (90% para 67%), mas na banda Ku foi menor a porcentagem, mas não sei se a perda em dB foi maior, por não saber como foi programado o aparelho receptor.

      Fiz uma atualização na postagem, com os dados do clima…

      Atualmente não tenho interesse em cortar o duralfoil em partes pequenas e tentar novamente, mas talvez futuramente…

      ATT

Deixe uma resposta