Polarização Linear na Banda Ku

Polarização Linear na Banda Ku

Em física, polarização é uma propriedade de ondas eletromagnéticas. Ao contrário de ondas mais familiares como as ondas mecânicas, as ondas eletromagnéticas são tridimensionais e a polarização é uma medida da variação do vector do campo elétrico dessas ondas em relação ao tempo.

Para entendimento recomento a seguinte postagem:

Agora, para entendermos melhor a polarização linear na banda Ku, temos que analisar a Resolução nº 288, de 21 de janeiro de 2002, que aprova a Norma das Condições de Operação de Satélites Geoestacionários em Banda Ku com Cobertura sobre o Território Brasileiro. Onde:

  • 3.5 As estações espaciais e terrenas devem utilizar antenas com polarização linear.
  • 8.5 Excepcionalmente, e sujeitas à coordenação conforme item 5, as estações terrenas podem utilizar polarização circular.

Dessa forma, o sinal que recebemos de todos os possíveis satélites que possuem cobertura no Brasil, se utilizam da polarização linear. Isso, podemos verificar em diversos sites que disponibilizam as listas de satélites e canais.

Alguns dos fatores negativos da polarização linear, é a necessidade de ajustar a polarização no LNBF. Dessa forma, após apontar sua antena com o azimute magnético e elevação corretos, devemos girar o LNBF para a direção indicada pelos cálculos. Outro fator, é que esse tipo de polarização pode ser afetada pela rotação de Faraday em ondas que atravessam a atmosfera e ou a ionosfera.

Mas a maior vantagem, é que este tipo de polarização é a única utilizada por satélites no Brasil atual. Não temos problemas com troca de “LNBFs”, pois todos podem ser usados em qualquer satélite. Algo diferente da Banda C, onde temos que utilizar-se placas ou LNBF produzidos para a polarização circular.

Na imagem abaixo, demonstro uma antena apontada para um determinado satélite, onde seu LNB SKEW marcava -35º ou 325º. Percebam que a qualidade do sinal em um determinado TP marcava 60%.

Cadastre-se e receba as novas postagens por E-mail:

2000 usuários cadastrados

LNB SKEW posição normal
LNB SKEW posição normal

Já a próxima imagem, eu inverti 180º o LNBF, onde obtive os mesmos resultados de qualidade. Se eram –35º – 180º = -215º, ou 360 – 215 = 145º.

LNB SKEW invertido 180º
LNB SKEW invertido 180º

Percebam diante das imagens acima, não existe nenhuma mudança do sinal ao inverter 180º o LNBF. Ele apenas inverte a posição da agulha, se ela esta em cima, vai para baixo, e se estiver na direita, vai para a esquerda. Podemos ver um exemplo na imagem abaixo:

LNBF invertido 180º
LNBF invertido 180º

Agora vejam a próxima imagem, onde temos um LNBF para banda Ku. A agulha que está na Vertical marca o ponto “0” do LNBF.

LNBF KU em seu interior
LNBF KU em seu interior

Tentei realizar a inversão de polaridade, alterando 9750/10600 para 10600/9750, mas não houve nenhuma mudança na qualidade do sinal.

Conclusão

Podemos concluir que a polarização na banda Ku é apenas Linear no Brasil. Onde facilita o uso dos LNBFs, pois pertencem a mesma polarização.

Deixe uma resposta